Maria Morgado de Abreu – Cem anos

Maria Morgado de Abreu – Cem anos

Maria Morgado de Abreu construiu as bases da moderna interpretação da História de Taubaté e do Vale do Paraíba.

No segundo quartel do século XX, foi testemunha e agente das transformações das ciências sociais no mundo, participando do desenvolvimento de técnicas de pesquisa e atuação em trabalhos de campo, ao mesmo tempo em que as teses do desenvolvimento e interpretação regional se aprofundavam. Ao longo da vida, atuou em duas frentes que se encontravam o tempo todo: a pesquisa e a docência.

Enquanto pesquisadora aproveitou-se de todas as ferramentas que a recente revolução científica ofereceu e lançou as bases para a leitura e interpretação do desenvolvimento regional. Foi ela quem primeiro traduziu a história de Taubaté com rigor acadêmico e simplicidade textual, garantindo acesso a um universo antes restrito e criando um amálgama dos saberes populares com o científico.

Foi atuando como professora que colocava em prática aquilo que ansiava com suas pesquisas. Era irremediável defensora do protagonismo regional para a história nacional, entendendo e comprovando que o regional não é um elemento estanque em si. Sua dinâmica dialoga com o todo, apesar das suas especificidades.

Ao lado de outros importantes nomes da cultura local, Maria Morgado de Abreu é a tradução da proteção do patrimônio histórico de Taubaté e do Vale do Paraíba.

No ano em que completaria cem anos de idade, prestamos homenagem à professora e pesquisadora mais influente da história de Taubaté.

Maria Morgado de Abreu – Cem anos, fica em cartaz durante a Semana Literária Monteiro Lobato.

 

Serviço

Maria Morgado de Abreu – Cem anos

Abertura: 16/04/2018 – 19h

Horário – 10h – 22h (seg. a sáb.) e 11h – 20h (dom.)

A entrada é gratuita

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*